Luciano Meira (*)

Na época moderna montesclarense, parece que uma parte da população vai perdendo uma parte do seu raciocínio. Um mal que vai atingindo a todas as idades para a tristeza da razão.

Uma volta pelas ruas da cidade, muitas vezes proporciona uma visão do tipo humano que habita a cidade.

 Uma rua bonita, uma rua suja, uma bela árvore ou um jardim abandonado. A alegria ou a tristeza, estampada na face ou no trato com as pessoas.

Foto tirada no dia 01/02/2023

Com esse olhar, a inteligência humana, produz reações de análise que brotam, uma interlocução de indagações ou de conformismo. Sendo este o tipo humano que perdeu a vontade de viver,  tem o hábito de “ser agradável”, ou de ser um teleguiado pela mídia ou pela servidão dos seus senhores.

O Automóvel Club  de Montes Claros, foi palco de mais de 50 décadas de júbilo e glória, onde a sociedade montesclarense comemorava nos seus salões as grandes festas que a cidade realizava em seu calendário.

 Na área social, na área política, na área empresarial, era “chique” se comemorar nos seus salões. As filas dobravam os quarteirões para comprar uma mesa para as festas de Réveillon e Carnaval.

Nos bastidores do mesmo, muita controvérsia no formato da administração do Club. Uma enxurrada de privilégios para a diretoria executiva, como gratuidade nas mesas das festas, cassino privado, etc, onde os 1.200 sócios “procuravam desconhecerem”.

́ Como sócio que fui, cota 102, há duas décadas fiz oposição ao sistema lá reinante,  fui perseguido e taxado como “encrenqueiro”, por aqueles que diziam representar as entidades de classe da cidade. 

Tiveram que fazer uma eleição que não acontecia há mais de 15 anos, onde a oposição perdeu, e deixou para o tempo, a análise que viria ser um dia aquele Club.

Segundo informações de um corretor de imóveis, o prédio vale hoje em torno de 10 milhões de reais e tem uma dívida de 600 mil reais, que não conseguem pagar, paralisando suas atividades.

Mas o que chama mais atenção é que na área central da cidade onde o clube está, virou um depósito de lixo e de mendigos. Um grande número de automóveis e pedestres passam por lá todos os dias, e vendo aquela imundice pública, não consegue raciocinar o que está ocorrendo.

Os antigos diretores do clube que tanto se beneficiaram das “benesses” fecharam os olhos, e se entregaram no seu conformismo. O Prefeito e sua equipe, esqueceram que naquele local existe uma parte da história da cidade.

 Cadê a secretaria de Ação Social, a Secretaria de Cultura, o Patrimônio Histórico, os Clubes de serviços que tanto usufruíram daquele local, até mesmo, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que poderia transformar aquele local em um Centro de Convenções.

Onde está a população que frequentaram aquele local? Cadê os cronistas sociais?

Fica aqui, para aqueles montesclarense que tem tenham uma visão sadia, e descomprometida com as “panelinhas”, opinarem o que fazer com o Automovel Club de Montes Claros. Se continuar como está, breve teremos uma favela na área nobre da cidade.

Acorda Montes Claros !

 

(*) – Diretor da LD Consultoria

Leave A Comment

you might also like